Bispo da Diocese de Petrópolis pronunciou repudio a lei de aprovação do aborto

Por Alexandre Nunes, Consagrado CMDJ

No ultimo dia 03 de dezembro o bispo Diocesano de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, OSB se pronunciou frente a realidade que está preste a acontecer, onde a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, agendou para o dia 7 de dezembro o julgamento que pode decidir se grávidas infectadas com zika vírus poderão abortar seus filhos sem serem punidas por cometerem crime de aborto.

A legislação brasileira prevê, atualmente, que somente abortos em caso de estupro e de risco à vida da mãe é que podem ser considerados “não puníveis”. Em 2013, contudo, o STF estendeu essa possibilidade às grávidas de filhos anencefálicos.

O bispo diocesano iniciou dizendo: “Atônitos, nós estamos por ver aprovada, uma lei que deseja liberar o aborto de crianças que estão em estado de gestação de três meses. Realmente é um absurdo nós imaginarmos que essa lei pode ser aprovada, no sentido de que nós estamos, agora, liberados para matar. Todos os médicos têm consciência de que uma criança que é gerada, embora tão ‘pequenininha’, já é um ser humano perfeito, embora pequeno.

Eu não posso dizer que uma pessoa de oitenta anos de idade é ‘mais gente’ do que aquela que tem cinquenta anos, ou aquela que tem um ano, ou a que tem nove meses ou três meses. Todos são gente, criadas por Deus, amadas pelo Senhor. Estamos por ver uma lei tão ímpia ser aprovada. E o mais incrível disso tudo é que se você cortar uma árvore que tenha uma certa idade, você pode ser preso; se você matar um animal que está em estado de preservação, você vai ser preso. Mas a gente diz: ‘Gente, a gente pode matar’.

Meus irmãos e minhas irmãs, graças a Deus nós temos muito deputados que ao lado da Igreja Católica, de outras igrejas, estão gritando contra essa lei ímpia e nós não podemos nos tornar calados com aquilo que desejam fazer. Resultado: vamos continuar lutando.

O Senhor nos disse, desde o Antigo Testamento: ‘Não matarás’, é Lei de Deus. E todo aquele que não apenas aborta, mas concorda e vão assinar aprovando essa lei, todos eles receberão uma excomunhão imediata.

Portanto, vamos lutar para que a Palavra de Deus, revelada ao coração da humanidade gere vida, e não morte. E que o nosso país se veja livre dessa desgraça, dessa coisa bestial e demoníaca chamada aborto.

Eu clamo a toda a nossa Diocese, para que juntos nós lutemos contra essa lei que gera morte, em meio a tantas mortes que já foram causadas ao povo brasileiro. Rezemos por aqueles que vão votar, e lutemos contra essa lei. Que Deus abençoe a todos”. Encerrou Dom Gregório.


Para este domingo (4 de dezembro), serão realizadas caminhadas de protesto em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Maceió, Belém, Goiânia e Curitiba. Além disso, a mobilização nas redes sociais também está intensa. Vídeos mostrando imagens de ultrassom de fetos humanos na 12ª semana de gestação têm sido usados para mostrar a incoerência da decisão.

Já a Diocese de Petrópolis irá utilizar de seu Programa Televisivo: Ecclesia, Igreja Católica em Foco, para promover um debate com o tema: “A inviolabilidade do Direito à Vida”, na próxima segunda-feira (05 de dezembro), onde receberá o advogado, Rafael Sutter, Pós-graduado em direito constitucional, e o fundador da Comunidade Católica Jesus Menino, Antônio Tavares de Melo. O Programa Ecclesia, Igreja Católica em foco iniciará às 20h30 – Canal 19 – TV VILA IMPERIAL – canal local da cidade de Petrópolis. O programa também poderá ser acompanhado por meio da internet, acesse: www.tvvilaimperial.com.br.

O que você pode fazer para que o STF não legalize o aborto?

A população pode contribuir com o tema, divulgando a campanha nas redes sociais e escrevendo ao STF para defender a vida das crianças com deficiência, inclusive quando ainda no ventre das mães. Auxiliando essas ações, há ainda um abaixo-assinado virtual lançado pela plataforma de mobilização social Citizen Go, que tem como meta conseguir 20 mil assinaturas.

Se você prefere se manifestar diretamente ao STF, confira abaixo os canais oficiais de contato:

Telefone do gabinete da presidência do STF: (61) 3217-4352

E-mail: presidencia@stf.jus.br

Confira outros contatos aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *