Comunidade

Mater Dolorosa de Jerusalém

Somos o povo da Cruz

Queremos, como Comunidade, ser, na Igreja e no mundo, uma fonte onde as pessoas possam encontrar-se com Deus e, a partir deste encontro, perceber e aprofundar a vontade de Deus em suas vidas. Os membros, movidos pelo carisma de estar com Maria aos pés da Cruz pela redenção da humanidade, desejam ser testemunhas da alegria de quem encontrou o Senhor e Sua vontade e, por isso, é capaz de comunicá-lo aos outros. 

 

A Comunidade Mater Dolorosa de Jerusalém pertence à Igreja Católica Apostólica Romana e expressa essa comunhão através da fidelidade à doutrina católica, do amor e obediência ao Santo Padre e aos bispos. A Comunidade, com sua vida e missão, movida pelo carisma de fundação, quer edificar toda a Igreja e contribuir para a salvação das almas. 

 

IDENTIDADE E MISSÃO

A Comunidade Mater Dolorosa de Jerusalém, sigla “CMDJ”, foi fundada em 26 de agosto de 1996. É uma Associação Privada de Fiéis, dotada de personalidade jurídica (cf. CIC, cân. 298-311; 321-329) e tem sua sede na cidade de Petrópolis, Diocese de Petrópolis, Rio de Janeiro -  Brasil. 

 

A Comunidade Mater Dolorosa de Jerusalém é formada por homens e mulheres, que, por um chamado do Senhor, decidem doar suas vidas pelo Reino de Deus, cada qual segundo seu estado de vida, tendo no Batismo e na Confirmação, bem como no carisma, a fonte de sua consagração e missão. 

 

A exemplo de Maria, a Mater Dolorosa, temos o chamado de vivenciar a espiritualidade da Cruz, imitando o silêncio de Maria, que se une ao sofrimento de seu Filho, ao mesmo tempo oferecendo-o e sendo vítima de amor e oblação ao Pai. Desta forma, a Comunidade, em seus membros, busca viver como Maria a renúncia de si mesma em total oblação pela Igreja e pelos irmãos.

 

Como Jerusalém foi o lugar escolhido por Deus para ser a Sua habitação, a Comunidade Mater Dolorosa de Jerusalém, sob a ação do Espírito Santo, visa ser aqui na terra um povo fiel à Palavra de Deus, numa busca contínua de santidade e tem por missão formar os filhos de Deus até à maturidade de Cristo (cf. Ef 4,13). 

Reconhecimento diocesano

40540457862_79005eb637_o.jpg

No dia 28 de fevereiro de 2018, em Celebração Eucarística, no Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino, o bispo de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, OSB anunciou publicamente o reconhecimento diocesano definitivo de nosso Estatuto Religioso, abençoando nosso carisma e espiritualidade. O decreto de aprovação foi entregue às mãos de nossa fundadora, Verônica de Sousa Jordão, que emocionada agradecia profundamente a paternidade e o acolhimento não só do bispo diocesano, mas de toda Igreja.

 

A Comunidade Mater Dolorosa de Jerusalém, fundada nesta diocese a 26 de agosto de 1996, tem como carisma estar com Maria aos pés da Cruz pela redenção da humanidade; como espiritualidade, a Cruz; e, como missão, formar os filhos de Deus até a maturidade de Cristo. Percorrendo esse caminho de 21 anos de fundação, servindo à Igreja na diocese e para além dela, pois já teve a oportunidade de realizar missões evangelizadoras em Goiás, Pará, Maranhão e Chile, conta hoje com 33 membros consagrados ao carisma: a fundadora da obra, Verônica de Sousa Jordão; o cofundador, Pe. Antônio Carlos Soares Cardoso; 13 membros celibatários; 18 membros de aliança, sendo um deles sacerdote, Pe. Rafael Soares da Silveira; e, atualmente, tem um grupo de 29 vocacionados. Com compromissos permanentes, há 5 membros consagrados e 13 já fizeram o pedido para firmar os compromissos permanentes neste ano.

Mediante o exposto, atendendo os requisitos do item 3.3 das Diretrizes da Diocese para as novas Comunidades quanto aos anos de caminhada, número de membros (vida e aliança), além dos vocacionados em discernimento, foi-lhe concedida a Aprovação Diocesana para que a Comunidade possa prosseguir decididamente no caminho de cumprimento da vontade de Deus.

A Comunidade foi fundada por Verônica que inspirada pelo desejo de entregar a vida inteiramente ao Divino Esposo para saciar sua sede de almas, juntamente com mais uma jovem, lançou-se no caminho de uma vida oblativa para que com Maria, por Maria, para Maria e em Maria pudesse alcançar um maior número de almas para Deus.

Na trajetória da fundação da Comunidade, Deus uniu à Verônica seu diretor espiritual, Pe. Antônio Carlos que, desde os primeiros passos, acompanhou e aconselhou sua filha espiritual na vontade de Deus. Tornou-se com ela fonte inspiradora do carisma, assumindo a cofundação, de modo que também através dele a Comunidade pode beber de muitas inspirações.

A compreensão da vontade de Deus enquanto carisma foi acontecendo a partir da identificação com Maria aos pés da Cruz. Maria, a Corredentora, une-Se ao Seu Filho, oferecendo-se como vítima de amor em reparação pelos pecados da humanidade e sendo consolação ao coração de Deus.

 

“Junto à Cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena” (Jo 19,25). Assim está a Comunidade, de pé com Maria aos pés da Cruz pela redenção da humanidade, tendo a alma traspassada pela espada de dor profetizada por Simeão em Lc 2,35: “E uma espada traspassará a tua alma”, até que cada alma seja alcançada para a glória de Deus.

 

A missão da Comunidade, constituída por membros de diversos estados de vida, é formar os filhos de Deus até a maturidade de Cristo (cf. Ef 4,13) que, no horto, tem sua grande expressão: “Pai, se queres afasta de mim este cálice! Contudo, não a minha vontade, mas a tua seja feita! ” (Lc 22,42). Esse é o desejo de cada membro, na alegria de abraçar a Cruz do dia a dia, ajudar os filhos de Deus a abraçarem, com alegria, suas cruzes e subirem com determinação, unidos à Mater Dolorosa, o Calvário de suas vidas.

A Comunidade foi aprovada através da seguinte fórmula canônica:

Cân. 298 — § 1. Na Igreja existem associações, distintas dos institutos de vida consagrada e das sociedades de vida apostólica, nas quais os fiéis quer clérigos quer leigos, quer em conjunto clérigos e leigos, em comum se esforçam por fomentar uma vida mais perfeita, por promover o culto público ou a doutrina cristã, ou outras obras de apostolado, a saber, o trabalho de evangelização, o exercício de obras de piedade ou de caridade, e por informar a ordem temporal com o espírito cristão.§ 2. Os fiéis inscrevam-se de preferência em associações erectas ou louvadas ou recomendadas pela autoridade eclesiástica competente.

Cân. 299 — § 1. Podem os fiéis, por meio de convênio privado, celebrado entre si, constituir associações para alcançarem os fins referidos no cân. 298, § 1, sem prejuízo do prescrito no cân. 30l, § 1.§ 2. Tais associações, ainda que louvadas ou recomendadas pela autoridade eclesiástica, chamam-se associações privadas.§ 3. Não se reconhece nenhuma associação privada na Igreja, a não ser que tenha estatutos revistos pela autoridade competente.

Cân. 300 — Nenhuma associação adopte a designação de “católica”, a não ser com o consentimento da autoridade eclesiástica competente, segundo as normas do cân. 312.

casas missionárias

capela 29584721782_411b9bf8d8_k.jpg

 

Casa SEDE - "imaculado corção de Maria"
 
Local que se encontra a sede administrativa da CMDJ. A casa está localizada na cidade de Petrópolis, RJ. 
 
 
 

 

Casa de Formação e Missão: "Maria e Mãe e Mestra".

 

Neste local são formados os vocacionados. A casa Está localizada no município de PETRÓPOLIS, RJ.

 

Casa de MISSÃO: "NOSSA SENHORA AUXILIADORA".
Neste local OCORRE ATIVIDADES MISSIONÁRIA DIVERSAS. A casa Está localizada no município de MAGÉ, SURUÍ, RJ.